Home

Algumas dicas para quem quer parar de fumar


Muitos fumantes que pensam em parar de fumar têm medo de não conseguir. A vontade é fundamental.

DICAS O mais importante é escolher uma data para ser o seu primeiro dia sem cigarro. Este dia não precisa ser um dia de sofrimento. Faça dele uma ocasião especial e procure programar algo que goste de fazer para se distrair e relaxar. Nos primeiros dias Evite lugares com muitos fumantes, ou situações que normalmente te dão vontade de fumar. Sentindo vontade de fumar A vontade de fumar não dura mais que alguns minutos. Nesses momentos, para ajudar, você poderá chupar gelo, escovar os dentes a toda hora, beber água gelada ou comer uma fruta. Mantenha as mãos ocupadas com um elástico, pedaço de papel, rabisque alguma coisa ou manuseie objetos pequenos.
 
Não fique parado - converse com um amigo, faça algo diferente que distraia sua atenção. Nos momentos de estresse, tristeza ou preocupação Procure se acalmar e entender que momentos difíceis sempre vão ocorrer e fumar não vai resolver seus problemas. Exercícios de relaxamento São um ótimo recurso saudável para relaxar.
 
Faça a respiração profunda: respire fundo pelo nariz e vá contando até 6, depois deixe o ar sair lentamente pela boca até esvaziar totalmente os pulmões. Relaxamento muscular: estique os braços e pernas até sentir os músculos relaxarem. Recompense seu esforço Diariamente, guarde o dinheiro que você gastaria com cigarro e conte-o no fim de cada semana. Pegue o dinheiro e compre um presente para você ou para alguém que você goste, ou saia para fazer um programa diferente. Cuidado com as armadilhas Esteja atento para evitar recaídas. Evite o primeiro cigarro e você estará evitando todos os outros.

Mas, se você não conseguir se segurar e fumar, não desanime! A recaída não é um fracasso. Comece tudo novamente e tenha mais cuidado com aquilo que te fez voltar a fumar. Dê a si mesmo quantas chances forem necessárias para conseguir. A maioria dos fumantes que deixaram de fumar fez em média 3 a 4 tentativas até parar definitivamente.
 
Não tenha medo...dos sintomas da síndrome de abstinência O organismo volta a funcionar normalmente sem a presença de substâncias tóxicas e alguns fumantes podem apresentar (varia de fumante para fumante) sintomas de abstinência como fissura (vontade intensa de fumar), dor de cabeça, tonteira, irritabilidade, alteração do sono, tosse, indisposição gástrica e outros. Esses sintomas, quando se manifestam, duram de 1 a 2 semanas. ... de engordar Se a fome aumentar, não se assuste, é normal um ganho de peso de até 2 kg, pois seu paladar vai melhorando e o metabolismo se normalizando. De qualquer forma, procure não comer mais do que de costume. Evite doces e alimentos gordurosos. Mantenha uma dieta equilibrada com alimentos de baixa caloria, frutas, verduras, legumes etc.
 
Prefira produtos diet / light e naturais. Beba sempre muito líquido, de preferência água e sucos naturais. Evite café e bebidas alcoólicas. Eles podem ser um convite ao cigarro. Outras opções que podem ajudar são os grupos de mútua-ajuda para tabagistas ou mesmo uma psicoterapia individual. Caso não consiga parar de fumar sozinho, procure orientação médica. Cuidado com os métodos milagrosos para deixar de fumar. Somente um médico poderá avaliar a utilização de outros métodos, como adesivos de nicotina e medicamentos. Fonte: www.vivosemcigarro.blogger.com.br
 

Cuidadores de idosos


Quando nascemos nossos pais cuidam de tudo: da nossa alimentação, higiene e bem estar. E nos enchem de carinho. Quando somos adolescentes odiamos que se metam tanto nas nossas vidas, mas mesmo assim, no fundo, adoramos chegar em casa e o almoço estar fresquinho nos esperando ou quando voltamos daquela festinha e nossos pais estão acordados, preocupados com o nosso retorno seguro.

Quando, finalmente, ficamos adultos, conquistamos nossa independência financeira e montamos nossa família, ainda assim, dependemos dos cuidados dos nossos pais, seja num telefonema saudoso para saber como estamos ou para ficarem com os netos para passearmos. Mas, com o passar do tempo, nossos queridos pais tão zelosos envelhecem e somos nós que passamos a cuidar deles. Essa inversão de papéis (de cuidados para cuidadores) pode trazer muita angústia e dúvidas.

E isso é muito natural. Alguns pais apenas envelhecem, outros adoecem, mas todos precisam de cuidados. O papel do cuidador é fundamental para a pessoa com idade mais avançada ou com algum grau de dependência. Esse cuidador pode ser um filho, um amigo da família, um vizinho, um parente ou uma pessoa contratada para essa finalidade. Cuidar de um idoso não é só lhe fazer companhia; não é só lhe dar os remédios na hora prescrita; não é só lhe servir as refeições (e, em alguns casos, ajudá-los a comer) e não é só lhe medir a pressão arterial ou verificar a temperatura.

Cuidar de um idoso é também dar atenção as suas longas conversas, que podem ser cansativas; é também levá-lo, quando possível, a passeios ou a desenvolver atividades que lhe dão prazer; é também dar carinho, amor e se doar. Em alguns países, é recomendado que as férias dos cuidadores sejam diferenciadas, pois o seu papel pode ser muito estressante, demanda muita atenção, dedicação e responsabilidade. Por isso, quando se escolhe uma pessoa (ou quando somos escolhidos) para cuidar efetivamente de um idoso devemos ter em mente que é alguém tão ou mais especial que a pessoa a ser cuidada para que possa exercer a sua função com muito esmero.

Certifique-se que o cuidador realmente tem condições físicas e psíquicas para o bom desempenho da tarefa, se é alguém dotado de muita paciência, se está habilitado a reconhecer as principais alterações orgânicas em decorrência de doenças e se sabe ler (para não dar o remédio errado, por exemplo). Se for contratar alguém, além desses cuidados, peça referências de antigos lugares onde trabalhou, peça para trazer um comprovante de residência no nome da pessoa e seus documentos pessoais. se fez algum curso de auxiliar ou técnico de enfermagem peça também o certificado de conclusão do curso (entre em contato com o curso para confirmar, caso ache necessário). Se possível, peça para a pessoa trazer um atestado de antecedentes criminais (o próprio candidato pede esse documento na delegacia – quem contrata não pode pedí-lo). Dra. Gilse Siqueira Prates, é Médica (CRM 52.77294-1), formada pela Escola de Medicina Souza Marques, Pós-graduada Lato Sensu em Geriatria e Gerontologia na UERJ. Está se especializando em Neuropsiquiatria Geriátrica pelo IPUB/UFRJ como Lato Sensu. Fonte: www.bsbsaude.com.br
 

Como evitar acidentes domésticos com idosos


A maioria dos acidentes com idosos ocorrem dentro de casa. Com algumas modificações podemos torná-la mais segura e adaptá-la a seus moradores mais velhos.

1. A cama não deve ser muito alta. Deve ter uma altura entre 50 e 55 centímetros, para que a pessoa possa firmar bem os pés antes de se levantar.

2. Os interruptores precisam ficar ao alcance da pessoa na cama para que ela não tenha que se movimentar no escuro antes de acender a luz.

3. O piso precisa ser antiderrapante e os tapetes fixos no chão.

4. Barras de apoio no banheiro tanto no vaso como dentro do box são fundamentais para evitar quedas.

5. Os degraus devem ser substituídos por rampas de inclinação leve. Toda escada tem que ter corrimão e proteção antiderrapante.
 
6. As tomadas devem ficar na altura dos interruptores para evitar que as pessoas tenham que se abaixar muito para alcançá-las.
 
7. Os móveis devem ser adaptados para serem de fácil alcance e de cantos arredondados. Os sofás devem ter braços largos para ajudar os movimentos de se levantar e se sentar.

8. As prateleiras não devem ser nem muito altas ou baixas para evitar que a pessoa tenha que se esticar ou abaixar para pegar algo. Fonte: Sabido
 

<< Início < Anterior 131 132 133 134 135 Próximo > Fim >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Webmail
Clique aqui para acessar seu e-mail.
Rádio São Sebá
Visite
Online Agora
Nós temos 103 visitantes online
Recomendamos
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Publicidade